É hora de fazermos contato alienígena


É hora de tentar ativamente entrar em contato com vida extraterrestre inteligente em outros planetas. Pelo menos é o que alguns cientistas estão dizendo. Pesquisadores envolvidos na busca de vida extraterrestre estão considerando enviar uma mensagem em nome da Terra para o espaço sideral, e já estão pensando em como ela deve ser.
A ideia foi dada pelo Instituto de Busca por Inteligência Extraterrestre (SETI, na sigla em inglês) durante uma reunião da Associação Americana para o Avanço da Ciência. Pesquisadores do SETI têm ouvido os sinais do espaço exterior por mais de 30 anos, usando instalações de telescópio de rádio nos EUA. Até agora não houve nenhum sinal de ETs.
O diretor da organização, o Dr. Seth Shostak, disse aos participantes da reunião da AAAS que agora era hora de acelerar a pesquisa. “Alguns de nós no instituto estamos interessados em não apenas ouvir, mas transmitir algo para algumas estrelas próximas, porque talvez haja alguma chance de acordar alguém e ter uma resposta”, disse.
Várias pessoas são contra essa ideia porque seria “perigoso”. “É como gritar na selva. Você não sabe o que está lá fora”, diz Shostak.
Por mais que toda a ideia pareça saída de um filme de Steven Spielberg, o Dr. Shostak é uma figura credível e popular. Astrônomos, antropólogos e cientistas sociais vão se reunir no seu instituto para um simpósio que visa detalhar os planos para uma proposta de mensagem para colocar à disposição do público e dos políticos.
A maior preocupação é se a tal mensagem seria realmente perigosa. “Eu não vejo por que os alienígenas teriam qualquer incentivo para fazer isso”, diz. “Além disso, estamos dando sinais de que estamos aqui por mais de 70 anos através das transmissões de TV, rádio, radares, etc – tudo o que vaza para fora da Terra. Qualquer sociedade que pudesse vir até aqui e acabar conosco já sabe que estamos aqui”.

Choque de culturas

David Brin, um escritor de ficção científica convidado para falar na reunião da AAAS, que se opõe ao plano, tem argumentos ainda menos tranquilizadores. “Os historiadores mostram que o primeiro contato entre as civilizações industriais e os povos indígenas não foram pacíficas”, aponta.
Ele não teme uma invasão alienígena ao estilo de Hollywood e acha que a probabilidade de fazer contato é extremamente baixa. Mas os riscos, argumenta ele, são extremamente elevados e por isso merecem uma consideração cuidadosa antes que alguém envie um sinal para mundos potencialmente habitáveis.
“A arrogância de gritar para o cosmos sem qualquer avaliação de risco adequada é inacreditável. É uma atitude que iria colocar os nossos netos em risco”, prevê ele.
Outra questão é sobre qual seria a mensagem. Alguns envolvidos nas discussões acreditam que devemos enviar uma mensagem positiva de nós mesmos, deixando de fora partes de nossa história que não são motivo de orgulho e listando orgulhosamente nossas conquistas – como se a nossa espécie estivesse indo para uma entrevista de emprego ou um primeiro encontro.
O Dr. Shostak discorda. Ele acha que a única maneira de conquistar os aliens é sermos nós mesmos. “Minha preferência pessoal é enviar a internet – toda ela, porque se você enviar um monte de informações, então há alguma chance de que eles trabalhem com isso”. Os aliens certamente vão ficar um pouco confusos quando acessarem o Facebook, mas o plano parece não ter erro. [BBC]
Fonte: Hypescience
Share on Google Plus

About Henrique Halbercone

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.