À medida que o Reino Unido libera arquivos sobre OVNIs, ex-chefe de projetos do Ministério da Defesa pede desculpas por ter colaborado com o acobertamento

À medida que os Arquivos Nacionais Britânicos continuam a liberar os documentos relacionados aos OVNIs, como foi publicado aqui no OVNI Hoje, no dia 11 passado, o ex-chefe de projetos de OVNIs do Ministério da Defesa daquele país está abertamente admitindo ter sido parte do que ele chama de política do Reino Unido para ridicularização dos relatos sobre OVNIs e das pessoas que os relatavam.

Recentemente, o Reino Unido tornou público 34 arquivos previamente secretos sobre OVNIs, totalizando 9.000 páginas de um histórico de avistamentos e relatos de 1985 até 2007. 

Por três desses anos, 1991 até 1994, Nick Pope era encarregado escritório oficial para assuntos relacionados aos OVNIs, do Ministério da Defesa Britânico (sigla em inglês: MoD).

Está abundantemente claro ao analisar estes arquivos o fato de que, enquanto a população estava desesperadamente pressionando [sobre o assunto], isso não era de interesse para a defesa“, disse Pope para a publicação web, The Huffington Post.  “Não nos era permitido dizer que havia algo em nosso espaço aéreo; pilotos os viam; eles eram seguidos por radares; algumas vezes jatos eram despachados para perseguir essas coisas, mas não podiam capturá-los.  Isto seria um reconhecimento de que tínhamos perdido controle de nosso próprio espaço aéreo, e tal posição seria indefensável“.

Toda vez que recebíamos um relato de um piloto, estávamos conferindo as fitas de radar.  Assim, este era um truque bem executado.  Estávamos dizendo à população que não estávamos interessados, que isso era tolice, mas na verdade estávamos desesperadamente perseguindo nossas próprias caudas e estudando tudo em grande detalhe“, disse ele.

Um dos arquivos liberados revela como as autoridades tinham medo de se embaraçar caso a população descobrisse que a pesquisa dos OVNIs estava sendo prejudicada pela falta de investimentos e por outros assuntos considerados mais prioritários.

Outro caso de 2007, que aconteceu perto das Ilhas do Canal, envolveu uma pequena aeronave comercial.
O piloto e vários de seus passageiros viram um OVNI, o qual disseram ter 1,6 quilômetros de comprimento“, relembra Pope.  “E vários outros pilotos o viram, mas disseram, ‘Não vamos relatar isso‘.  E aqui está a ótima desculpa do MoD: Somente por uma questão de talvez algumas centenas de metros, o objeto estava no espaço aéreo francês, assim o MoD achou sua saída: ‘Bem, isso aconteceu no espaço aéreo francês, assim não é de nossa conta’.  Claramente, aquela foi uma absoluta negligência de suas responsabilidades“.

Um arquivo de 1993 (enquanto Pope era chefe do Projeto de OVNIs) descreve como dinheiro da União Européia havia sido desperdiçado em relatos que incluam uma teoria de que os alienígenas estavam estabelecendo uma base em um asteróide no cinturão entre Marte e Júpiter.

Na época, Pope estava diretamente envolvido com o caso. “Estou um pouco apologético sobre isto porque, obviamente, quando estava trabalhando para o MoD eu tinha que jogar o jogo deles.  Para realmente alcançar nossa política de menosprezo ao fenômeno dos OVNIs, usávamos todas as combinações de truques sujos”.

Usávamos termos como ‘fanáticos por OVNIs’ e ‘avistadores de OVNIs’ — termos estes que significam que estas pessoas tinham ‘um parafuso solto’.  Em outras palavras, estávamos sugerindo que este era somente um passatempo estranho que tinham, e não um interesse sério de pesquisa“.
Mas Pope disse que a política da ridicularização ia ainda mais além.

Outro truque era o de deliberadamente usar frases como ‘homenzinhos verdes’.  Estávamos tentando fazer duas coisas: ou matar qualquer história da imprensa sobre o assunto, ou se a história já tivesse sido liberada, assegurar de que ela iria se alastrar de tal forma que fizesse com que a pessoa que relatou fosse ridicularizada, como também as pessoas interessadas por ela“.

Pope ainda admite que ele possa ter sido um dos que elaborou declarações do MoD, as quais contribuíram para esta política de ridicularização.

Se foram aquelas minhas palavras, então eu peço desculpas e sinto muito por isso.  Eu acredito em governos abertos e liberdade de informação.  Eu acredito que o fenômeno dos OVNIs é relevante à defesa, à segurança nacional e aos assuntos de segurança aérea, e se ajudei a matar qualquer iniciativa a favor disso, então sinto muitíssimo“.

Alguns casos do Reino Unido foram aparentemente mais fáceis do que outros, no que diz respeito a torná-los inacreditáveis,  como o arquivo que descreve OVNIs, relatado em junho de 2003 no Festival de Música de Glastonbury.

Era muito fácil encontrar um incidente onde algo havia sido visto em um evento tal como um concerto de rock”, apontou Pope. “Você nem precisa dizer nada sem que a percepção da imprensa e da população seja de que álcool e drogas foram as causadores disso.  Tudo fazia parte do modo como trabalhávamos este assunto, tentando colocá-lo em descrédito“.

Apesar das milhares de páginas contidas nos documentos liberados — com um lote final que ainda está por ser apresentado no início do ano que vem — Pope admite que ainda não há evidência por escrito de que os alienígenas estejam visitando a Terra.

“Ainda não — não há nenhuma espaçonave escondida em um hangar como prova disso.  Porém, há um farto número de avistamentos que, eu penso, mostra que estamos lidando com mais do que somente luzes de aviões e balões meteorológicos.

O último lote de 34 arquivos sobre OVNIs pode ser acessado gratuitamente até o mês que vem no seguinte link: National Archives

Fonte: http://ovnihoje.com
Share on Google Plus

About Henrique Halbercone

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.