Experimentalismos com seres humanos

Casos de abduções foram registrados em todos os continentes do planeta.

abdução (palavra usada aqui para designar seqüestros de seres humanos por raças alienígenas supostamente superiores à nossa) acontece com pessoas aparentemente normais. Vários pesquisadores do assunto têm observado que a maioria das abduções possui raízes hereditárias, ou seja, seus antepassados também eram abduzidos. Muitas pessoas que são abduzidas desconhecem pela vida toda que passam por este processo. Isso pela sutileza com que são feitos tais seqüestros, que na maioria das vezes beira (ou se confunde) aos sonhos.

Este delicado assunto está sendo cada vez mais pesquisado por sérios cientistas de vários países do mundo. Já se mostraram evidentes, as sequelas em seres humanos que alegam terem sido submetidos às abduções. EM alguns casos, marcas de corte na pele, disfunção do sistema nervoso, sangramentos, confusão mental e até implantes são encontrados no corpo dos abduzidos. Geralmente, os implantes raramente detectados são de origem e funcionamento desconhecidos para a nossa ciência, mas consta que já foram coletados em diversas vítimas e analisados por alguns dos mais experientes cientistas da área. Tais aparatos funcionariam, certamente, como um microchip, geralmente feito de metal desconhecido, inexistente em nossa natureza. Supõe-se que tais artefatos sejam implantados para monitoração de quem lhes porta, podendo receber, armazenar e enviar dados a alguma "central" receptora.

Casos de abduções são registrados em todos os continentes do planeta, desde tempos imemoriáveis. Antes da civilização tecnológica atual e, mormente, nas experiência vividas por tribos indígenas e aborígines geograficamente distintas, são narrado de geração a geração, casos envolvendo a descida de "deuses" à Terra, interagindo e influenciando positivamente algumas dessas culturas. No entanto, é verdade que muitos casos são forjados, tratando-se de  fraudes promovidas por pessoas inescrupulosas, que tentam com isso, tirar proveito próprio, financeiro e ou outro. Contudo, fatos inexplicáveis envolvendo raças alienígenas (geralmente superiores à nossa no sentido tecnológico) intercedendo junto aos seres humanos são também citados em diversas passagens da Bíblia, onde tais seres receberam a denominação de “anjos”, além de outras descrições e modalidades de interação com o passado da humanidade. Também são de tempos imemoráveis a narração de fatos envolvendo objetos voadores não identificados, então descritos como “nuvens”, “carruagens de fogo” e, feralmente, sempre saindo de seu interior os tais “anjos” ou “emissários”.

Mas, a realidade nos mostra que tais fatos nem sempre são tão angelicais e líricos, pois, por diversas vezes, ficou comprovado que seres humanos e de algumas espécies animais foram submetidos a cirurgias à revelia, experimentalismos e até mutilações físicas por parte de algumas raças alienígenas. Em verdade, a espécie (ou espécies) alienígena que realizara tais mutilações é totalmente desconhecida, por isso, o bom pesquisador também deve considerar a possibilidade de se tratar de alguma sociedade da própria espécie humana que, por algum motivo, mantém recursos tecnológicos além daqueles popularmente já conhecidos. O propósito real destes “abdutores” (que certamente, não se encontram em somente uma raça alienígena, visto a abundância dos casos e seus detalhes) ainda é desconhecido, mas há várias hipóteses e, dentre elas, uma relevante, segundo alguns pesquisadores: o interesse pelo nosso material genético (óvulos e espermatozóides).

Ainda chegará um tempo, onde a humanidade mais consciente poderá analisar e discernir o sonho da realidade. Podemos dizer que em termos nacionais, a França fora o primeiro país a atirar a primeira pedra neste sentido, com a divulgação de seu substancioso “Dossiê Cometa” em 1999, que pouco esclareceu, mas que reconhece a existência de seres alienígenas e suas ações em nosso meio. No Brasil, os governos e as forças armadas sempre se mostraram (publicamente) desinteressados e alheios ao assunto, mas, no entanto, sabemos que estão bem informados a respeito dessa questão, no que se refere às abduções e também à incursão de objetos voadores desconhecidos no espaço aéreo brasileiro - ao que sabemos, já por mais de meio século.

Qual é o perfil de um abduzido?

Leigos e  iniciados na ufologia demonstram interesse, desprezo ou terror acerca dos casos de abdução.
Mas será que estamos preparados para conviver com pessoas que afirmam estar sendo abduzidas?


A palavra abdução significa rapto, mas se tornou um termo especifico para definir
as experiências que seres humanos mantêm com criaturas extraterrestres.
ABDUZIDOS - Depois de Odisséia no EspaçoAlien o 8º PassageiroCocoonContatoContatos Imediatos de 3º GrauET o Extraterrestre e MIB Homens de Preto, fenômenos Ufológicos são considerados mera ficção e impossibilidades que ocorrem apenas nos cenários bem equipados de Hollywood.

Embora aos olhos e ouvidos da maioria das pessoas soem fantasiosos e ilusórios são muitos ao longo dos anos, os casos de abdução envolvendo pessoas de várias idades, mas, praticamente, apenas os adultos os assumem. Talvez porque no mundo infantil a presença da muita imaginação e fantasia não permita que se encare os fenômenos de cunho “extraterrestres” como reais. Somente ao passar de muitos anos, depois de a pessoa criar seu senso de pré-julgamento e discernimento sobre o que é verdadeiro ou falso (e a razão mais desenvolvida) é que se apercebe das experiências vividas.

A pouca atenção aos fenômenos Ufológicos também contribui para que adultos não detectem em crianças o princípio das abduções. Adultos, de um modo geral, estão despreparados para lidar com os assuntos do universo infantil. As crianças são mais vulneráveis a percepção e visualização de fenômenos ocultos que os adultos. Esses, por sua vez, diante de qualquer relato "anormal" narrado por uma criança, de imediato procura fazê-la desacreditar no que viu ou vivenciou, procurando evitar possíveis problemas futuros de ordem psicológica. Sempre é mais simples dizer às crianças que tudo se tratou apenas de sonho ou imaginação.

O processo para alguém descobrir que se é um abduzido pode levar anos, dependendo do quanto de informação sobre o assunto a pessoa tenha acessado. Até que se faça essa descoberta, o abduzido pode viver uma verdadeira “via –sacra”, geralmente, iniciada em templos religiosos e finalizada consultórios psiquiátricos ou terapêuticos – sem, contudo, obter uma solução definitiva. Muitos dos episódios que envolvem as abduções são muitas das vezes confundidos com fenômenos espirituais ou paranormais.

Isso ocorre porque ao longo dos séculos, a humanidade se tornou condicionada a relacionar quaisquer fenômenos fora da 'normalidade' como sendo uma ocorrência espiritual. Existem algumas situações que são bastante semelhantes e a não ser que, aqueles que abduzem se manifestem ou revelem claramente sua presença, o abduzido poderá associar tais criaturas exógenas aos fenômenos de ordem espiritual ou aos espíritos em si.

'A maior parte dos profissionais da saúde desconhece essa realidade,
diagnosticando distúrbios psicológicos diversos e muitas síndromes'

IDENTIDADES SEMELHANTES - A sensação de solidão é uma constante na vida de abduzidos. Os fenômenos são tão reais e físicos, que não há como serem indiferentes ao que ocorre. Tais pessoas, são movidas por uma necessidade busca excessiva por explicações acerca de tudo o que lhes ocorre e, depois pode se iniciar um infinito caminho de buscas incessantes.

Nestes casos, raramente encontram em seu círculo social pessoas que vivenciaram episódios semelhantes, pois muitos reprimem essas informações. Os que resolvem compartilhá-las se encontram nos meios ufológicos em geral.

Os abduzidos se sentem diferentes, quando, na verdade são. Estão meio à maioria de pessoas que vivem uma rotina e uma realidade completamente oposta. A consciência Universal, Ambiental, Cósmica, Interior é bem evidente nos abduzidos. As preocupações com os rumos que tomam a humanidade, o estado crítico do planeta, as causas sociais, o senso de dever coletivo e auxílio ao próximo são constantes.

Muitos já buscaram ajuda psicológica, psiquiátrica e terapêutica. Mas a maior parte dos profissionais da saúde desconhece essa realidade, diagnosticando distúrbios psicológicos diversos e muitas síndromes. Os sintomas emocionais, psicológicos e neurológicos apresentados em abduzidos são reflexos de acontecimentos reais. No entanto, os profissionais que lidam com pacientes abduzidos acabam por considerá-los como sinais de doenças mentais diversas.

As alterações emocionais refletidas no comportamento também são percebidas nos abduzidos. De um momento para o outro podem estar serenos ou ansiosos, calmos ou irritados, tranqüilos ou preocupados e assim por diante. Apesar do que tem se pensado até agora, não é o humor do abduzido que se altera sem causa. A presença e a percepção de novos contatos interferem no estado emocional do abduzido.

Embora grande maioria dos abduzidos só lembre de suas experiências através de hipnose, no subconsciente, tudo ainda está registrado. A presença ou a aproximação dos tais seres manifesta reações típicas do momento das abduções. Não que toda experiência de abdução seja violenta ou traumática. Mas nosso consciente reage naturalmente, quando não identificamos a situação que causa a reação química manifestante de tal emoção proveniente, mesmo que não nos lembremos conscientemente dela.


A interferência de seres interdimensionais e não necessariamente
ETs em nosso mundo são narradas em alguns casos de abdução.
QUEM SÃO ELES? - O que muitas pessoas conhecem sobre abdução é que os abduzidos são levados para o interior de espaçonaves e os extraterrestres as machucam deixando marcas físicas. Mesmo quando ouvem ou lêem histórias, não acreditam nelas e a elas não dão nenhuma importância. Saber da existência de um abduzido é como saber de alguém que ganhou uma promoção de algum produto de marca famosa ou algum ganhador daTelesena: ninguém nunca viu um realmente. Mas eles existem, assim como os motivos para que suas identidades sejam desconhecidas.

O primeiro motivo para o anonimato de um abduzido é o fator vexatório. Quando se tem conhecimento de um abduzido em um grupo, as pessoas reagem negativamente, duvidando de sua saúde mental ou de seu caráter, por não acreditar nem conhecer sobre esses fenômenos. Diante disso, as pessoas se afastam ridicularizando o abduzido e, geralmente, o expondo.

Um segundo motivo seria a capacidade extra-sensorial dos abduzidos. Em troca de sua colaboração aos alienígenas, os abduzidos recebem um desenvolvimento mental, ativando capacidades cerebrais bloqueadas na maioria dos seres humanos. Assim, podemos dizer que, usamos 10% de nossas capacidades mentais, mas os abduzidos já avançaram essa porcentagem.

Não que sejam gênios ou experts em cálculos - apesar de conseguirem absorver com muita facilidade conhecimentos nas áreas que os interessa, demonstram ser autodidatas -, alguns possuem premonição, capacidades em viagem e projeção Astral, manipulações de energias desconhecidas, entre outros “poderes”. Em alguns casos, pessoas mal intencionadas costumam se aproximar de um abduzido, com o intuito de retirar deste, informações repassadas pelos alienígenas, as quais que possam ser valiosas. Como por exemplo, o mecanismo para a criação de outras fontes de energias alternativas; substituto para o petróleo e outras informações de nível tecnológico.

'Informações como a quantidade de avistamentos ufológicos, fotos de possíveis UFOs e relatos de outros abduzidos,
podem fazer um abduzido perceber que ele não é o único no planeta a passar por essas experiências'

ATENÇÃO ESPECIAL - Abduzidos, na maioria das vezes, estão vulneráveis e são sensíveis. Podem perceber com suas capacidades quando alguém se aproxima com segundas intenções.  É do primeiro e segundo motivo que vem um terceiro: o isolamento.

Muitos abduzidos que estão na fase de entender os fenômenos se isolam. Seus sentidos e capacidades estão evoluindo rapidamente e a percepção sobre tudo fica muito aguçada. Se isolar das pessoas é o melhor recurso que encontram, já que as pessoas em volta não conseguem compreender o que se passa.

Pessoas que passaram por processo de abdução são mais observadoras, falam pouco; elas possuem hábitos incomuns a maioria; estão sempre estudando algum assunto, lendo, observando o céu e alguns, procurando desenvolver habilidades artísticas e sociais.

Assuntos corriqueiros lhes parecem banais, pois estão voltados para filosofia e conectados o tempo todo a uma realidade que a maioria desconhece. Quando são questionados por seu comportamento ou modo de viver, se sentem pressionados. Não é simples explicar tais vivencias às pessoas. Além do mais, alguns abduzidos recebem informações que nem os cientistas ainda não têm ciência e, portanto, não possuem provas científicas para comprovar tais afirmações.

Com o passar dos anos, vivenciando experiências abdutivas, será criado um acúmulo de informações que causa um sentimento de sufocação. É natural do ser humano exteriorizar sentimentos e emoções, duvidas e opiniões, pois isso alivia as cargas interiores. Mas, abduzidos, muitas vezes não têm com quem conversar sobre o que lhes ocorrem.

Das informações que recebem, eles buscam em determinados canais de informações algum vestígio que tenha fundamento na realidade cartesiana (e cotidiana). Entretanto, muitas vezes, encontram apenas teorias sem comprovações. O acúmulo de informações e experiências dentro da rotina cotidiana pode fazer com que um abduzido entre em pane interior.

Para isso, é importante que profissionais da psiquiatria, da psicologia e da saúde em geral, desenvolvam recursos para que os abduzidos possam desenvolver um modo de vida mais tranqüilo, interiormente e socialmente, no qual possam associar as realidades vivenciadas paralelamente, sem deixar de usufruir o lado positivo que suas experiências podem oferecer.

Informações como a quantidade de avistamentos ufológicos, fotos de possíveis UFOs e relatos de outros abduzidos, podem fazer um abduzido perceber que ele não é o único no planeta a passar por essas experiências e que tudo o que lhe ocorre não é fantasia de sua cabeça. Eles, na verdade, precisam de compreensão e apoio. Eles não precisam de “provas da vida extraterrestre”, como a maioria das pessoas, pois, tais provas já estão inseridas em todos os dias de suas vidas.

Fonte: Pepe Chaves. / http://www.viafanzine.jor.br
Share on Google Plus

About Henrique Halbercone

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.