Descoberto o primeiro exoplaneta habitável

Se confirmado, astro poderá ser o primeiro candidato para uma futura colonização humana


Uma equipe de "caçadores de planetas" encontrou o que poderá ser, se confirmado, o primeiro exoplaneta (planeta fora do sistema solar) habitável. Os astrônomos da Universidade da Califórnia e do Instituto Carnegie, em Washington, anunciaram nesta quarta-feira que o corpo celeste encontrado possui um tamanho próximo ao da Terra e orbita uma estrela na constelação de Libra, a 20 anos luz de distância.

De acordo com o artigo encaminhado para o periódico Astrophysical Journal, o exoplaneta se encontra exatamente no meio da "zona habitável" da estrela anã Gliese 581, uma região onde há condições naturais para que água líquida se forme na superfície do planeta. Se confirmado, o exoplaneta será o mais parecido com a Terra já encontrado e o primeiro candidato a uma possível colonização. Outros dois exoplanetas na zona habitável do sistema da estrela anã Gliese 581 já foram encontrados. Contudo, eles se encontram nas extremidades, onde a temperatura é muito fria ou muito quente.

Para que um planeta seja potencialmente habitável, ele precisa dar condições para a formação da vida como conhecemos, não necessariamente um lugar agradável para se viver. Muitos fatores influenciam se um planeta será habitável ou não, mas a água líquida e a existência de uma atmosfera estão entre as características mais importantes, segundo os astrônomos.

Luz e escuridão — O exoplaneta foi encontrado depois de observações que duraram 11 anos, utilizando uma mistura de técnicas avançadas e telescópios convencionais. A equipe descobriu mais dois exoplanetas orbitando em volta da Gliese 581, colocando o sistema no topo da lista dos mais populosos, ao lado do nosso sistema solar, com seis planetas.

O mais interessante dos dois exoplanetas descobertos é o Gliese 581g, com uma massa três vezes superior à da Terra e uma período de translação (tempo que o planeta leva para dar uma volta completa em torno de sua estrela) inferior a 37 dias. Gliese 581g está "preso" à estrela, o que significa que um lado do planeta recebe luz constantemente, enquanto o outro é de perpétua escuridão. A zona mais habitável na superfície do exoplaneta seria a linha entre a sombra e a luz, com temperaturas caindo em direção à sombra e subindo em direção à luz. A temperatura média varia entre -31 e -12 graus célsius, mas as temperaturas reais podem ser muito maiores na região de frente para a estrela e infinitamente menores na região contrária. A gravidade no Gleise 581g é semelhante à da Terra, o que significa que um ser humano conseguiria andar sem dificuldades.

Os cientistas acreditam que o número de exoplanetas potencialmente habitáveis na Via Láctea pode chegar a 20%, dada a facilidade com que Gliese 581g foi descoberto. Se fossem raros, dizem os astrônomos, eles não teriam encontrado um tão rápido e tão próximo. No entanto, ainda vai demorar muito até que o homem consiga sair da Terra e comece a colonizar outros planetas fora do sistema solar.
 
Fonte: http://veja.abril.com.br
Share on Google Plus

About Henrique Halbercone

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.